Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

Mourinho - Um treinador galáctico em Madrid

REAL MADRID É O NOVO DESAFIO

 

Mourinho é um vencedor, é um homem de desafios. Ganhou em Portugal, ganhou em Inglaterra e ganhou em Itália. Tal como há seis anos, o técnico português chega a um clube como campeão europeu. Foi assim no Chelsea, e voltou a ser no Real. Nos próximos tempos, pretende continuar a ganhar, agora em Espanha, no comando do Real Madrid. Sendo o Real Madrid o maior clube do mundo, penso que Mourinho chegou ao Real na altura certa. Depois de tudo o que já ganhou e da experiência que adquiriu, está certamente preparado para um dos grandes desafios (para muitos o maior, para mim foi no Porto) da sua carreira.

 

O Real Madrid é uma realidade totalmente diferente. É um desafio muito mais exigente. A apresentação de Mourinho (assinou por quatro temporadas), não foi tão exuberante quanto a de Kaká ou Ronaldo, porque o próprio assim o quis. Na conferência de imprensa, ao lado de Valdano e perante um batalhão de jornalistas, Mourinho não prometeu nada, não foi provocador, mas foi directo e objectivo. Enviou recados para a direcção do clube madrilista e para os seus futuros jogadores (entre os quais o português Ronaldo). Terminar com a hegemonia de Guardiola e do seu Barça é o desejo da direcção e o objectivo de Mourinho. A próxima temporada em Espanha promete !!!

tags:

publicado por andre--- às 17:31
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 30 de Maio de 2010

Mundial 2010 - Os favoritos - Brasil

O SUSPEITO DO COSTUME

 

A selecção canarinha é a única que não falhou até há data um Campeonato do Mundo de futebol (a sua história fala por si), é a grande potência do desporto rei. É visto como o eterno favorito. Nenhuma outra nação ganhou tanto na história do Mundial : cinco títulos. É do Brasil que todos os anos saem algumas das grandes promessas do futebol Mundial. Ser seleccionador canarinho é uma tarefa árdua (um treinador que não leve o Brasil a vencer uma prova, em que este participe, será sempre visto como um derrotado). Das trinta e duas selecções que vão pisar os palcos da África do Sul, já no dia onze do próximo mês, a brasileira é uma das que estará sujeita a maior pressão. Não só pela crítica especializada de todo o mundo, como por uma nação populacional de quase 200 milhões de pessoas (todas elas confiantes no sexto título).

 

É deste modo, que se percebe, que a posição de Dunga (capitão em 94, no Mundial ganho pelo Brasil), é das mais ingratas. Por outro lado, Dunga tem ao seu dispor um lista indeterminável de jogadores. Muitos seleccionadores gostavam de ter tanto por onde escolher. É daquelas dores de cabeça saudáveis, como se costuma dizer. Infelizmente, só podem ser inscritos 30 jogadores. Os vinte e três que vão viajar para a África do Sul, enquanto que os restante serão reservas. O último Campeonato do Mundo, foi um dos mais decepcionantes para os brasileiros, detentores do troféu (tinham ganho em 2002 na Ásia), chegaram à Alemanha como um dos grandes favoritos. Toda a gente esperava que o Brasil conseguisse conquistar o seu sexto Mundial.

 

A selecção brasileira, liderada por Carlos Alberto Parreira ( técnico em 94 e actual seleccionador da África do Sul), caíu nos quartos-de-final diante da França (uma das finalistas) de Zidane e companhia. Um golo (apontado por Henry) solitário dos franceses, colocava um ponto final no sonho brasileiro. Tal como há quatro anos atrás, o Brasil chega a África como um dos favoritos, mas desta vez, o seu índice de favoritismo não é tão alto quanto o da Espanha, nem como em 2006. A canarinha passou por algumas dificuldades na fase de qualificação. O futebol é uma incógnita, mas, se tivermos em conta, o passado mais recente da equipa, os últimos dois anos, esta selecção terá de crescer muito mais, se quiser conquistar a prova.

 

A época irregular de uma dos seus jogadores mais influentes (Kaká), poderá ser um dos grandes problemas da equipa de Dunga. Uma convocatória nunca é consensual. Tal como em 2002, com Scolari, muitos adeptos brasileiros queriam ver em África, jogadores que não foram chamados, como : Adriano ; Ronaldinho ; Ganso, Neymar ou Pato. Dunga terá de gerir esta situação, e mostrar que está certo. Scolari enfrentou o mesmo desafio há oito anos, e ganhou a parada (como dizem os brasileiros). Deixou de fora Romário (decisivo no título de 94), mas ganhou a competição. Ninguém duvida, é que Dunga e o seu Brasil têm tudo para levar o caneco para casa pela sexta vez. Júlio César, Lúcio, Daniel Alves, Maicon, Kaká, Robinho ou Luís Fabiano, fazem parte de uma selecção de luxo. Muitas preocupações para Sven Goran  e Carlos Queiroz.

tags:

publicado por andre--- às 14:41
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 29 de Maio de 2010

A troca de Ibrahimovic por Eto´o

O INTER FOI QUEM SAIU BENEFICIADO

 

O ano passado (no mês de Julho), assim que a troca do sueco Zlatan Ibrahimovic pelo Camaronês Samuel Eto´o, foi oficializada, escrevi aqui neste blog, um pequeno texto (o negócio da china), onde demonstrava a minha opinião sobre um dos negócios mais falados do futebol internacional naquele verão. Passados todos estes meses, a minha ideia mantêm-se igual. Para mim, trocar um jogador como Eto´o, por outro como Ibrahimovic, e ainda por cima pagar uma quantia considerável (cerca de 45 milhões de euros), foi um erro tremendo da equipa catalã, e passo a explicar porquê. Na minha opinião, Samuel Eto´o, enquanto jogador, não é, nem nunca foi inferior ao jogador sueco (a sua passagem por Barcelona fala por si).

 

São jogadores diferentes. Zlatan é um jogador mais forte em termos físicos, superior no futebol aéreo, é uma espécie de referência. Em termos tácticos, o Barcelona também ficou a perder, um jogador com as características dele, encaixa melhor num sistema de jogo que utilize dois jogadores na zona central (e, como se sabe, não é o caso da formação de Guardiola). Esse, foi um dos seus grandes problemas na primeira época em Espanha. Samuel Eto´o, é um jogador mais explosivo, que cai nas alas, que aproveita a sua velocidade, a sua técnica, sendo, ao mesmo tempo, um bom finalizador. O típico jogador que cria desequilíbrios e explora a toda a largura a frente de ataque.

 

Pode-se dizer que o 4x3x3, é o seu habitat natural (um dos sistemas de jogo mais utilizados por Mourinho, e o sistema de jogo utilizado por Guardiola). Na teoria, esta era a minha opinião. Terminada a época futebolística no velho continente, essa ideia passou da teoria à prática. Eto´o encaixou que nem uma luva no onze de Mourinho e, pela segunda época consecutiva, ganhou tudo o que havia para ganhar (duas temporadas, dois tripletes). Já o mesmo não sucedeu com Ibrahimovic (que quis sair de Itália para triunfar na Champions, ironia do destino, viu a sua antiga equipa conquistar o troféu), que ganhou apenas a La Liga (campeonato espanhol), e o seu rendimento esteve longe, bem longe do esperado.

 

Teve enormes problemas na sua adaptação (ficou várias vezes no banco de suplentes). Que levou, inclusive, o Barça a garantir já um jogador para jogar na frente de ataque (o primeiro reforço do defeso), o internacional espanhol e ex Valência : David Villa. A mudança do atacante espanhol para Camp Nou, pode ser vista de duas formas : uma forma de reforçar o sector atacante, visto que Bojan e Henry podem estar de saída, ou então, será mesmo uma forma de compensar a hipotética saída de Zlatan (algo que os responsáveis do clube espanhol não colocam de parte). Para uma larga maioria (em Espanha, adeptos e critica especializada), a mudança do jogador sueco vai ganhando cada vez mais força.

  

tags:

publicado por andre--- às 14:37
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 28 de Maio de 2010

Mundial 2010 - Os favoritos - Inglaterra

A " ENGLISH TEAM " É UMA DAS GRANDES CANDIDATAS

 

INGLATERRA

 

Depois da selecção Inglesa ter falhado o apuramento para o Euro 2008, a Federação daquele país demitiu de imediato o técnico inglês Steve McClaren, como seria de esperar, e decidiu apostar num técnico com provas dadas. Chegou-se inclusive, a falar de Mourinho para suceder a McClaren (campeão holandês este ano pelo Twente), mas a aposta recaiu no italiano Fábio Capello, que curiosamente, nunca tinha ocupado o cargo de seleccionador. O objectivo era qualificar os " Three Lions " para o Campeonato do Mundo da África do Sul, depois da desilusão, e do fracasso que foi a qualificação para o Europeu que se realizou na Áustria e na Suíça.

 

Actualmente, a selecção inglesa tem tudo para se afirmar numa competição deste género. Um leque vastíssimo de jogadores de qualidade invejável, que actuam numa das melhores Ligas do mundo, muitos deles nos colossos ingleses. Isto, esta selecção sempre teve (se bem que esta é uma geração superior às anteriores). Talvez, não tenha tido, mais recentemente, um técnico à altura. Hoje em dia tem. Capello veio acrescentar a esta selecção, aquilo que ela dificilmente teria se fosse comandada por um treinador inglês : cultura táctica e organização defensiva. Aspectos fundamentais para se ter sucesso no futebol moderno. Sendo Fábio Capello, um técnico italiano, esses aspectos fazem parte da sua lista de qualidades.

 

O homem que já treinou o Real Madrid por duas vezes, tem 63 anos, muita experiência e grande sabedoria, que são sempre importantes para se lidar com os vários aspectos do jogo e adversidades que um Mundial coloca sempre a uma selecção. Desde que Capello pegou na " English Team ", que ela foi crescendo jogo após jogo. A campanha na fase de qualificação foi quase perfeita. Teria sido perfeita se a Inglaterra não tivesse sido derrotada no penúltimo jogo do grupo seis da fase de apuramento. Uma derrota por 1-0 na Ucrânia, impediu a equipa de fazer o pleno. Ainda assim, não deixou de ser um apuramento brilhante. Nove vitórias, uma derrota, trinta e quatro golos marcados, e seis sofridos. Ucrânia, Croácia, Bielorrússia, Cazaquistão e Andorra também faziam parte do grupo seis.

 

Com a Croácia inserida no grupo, foi a melhor forma dos ingleses se terem vingado da selecção que lhes tinha impedido de participar no Euro 2008. A Inglaterra não se esqueceu e goleou os croatas por duas vezes. A primeira, logo na segunda jornada em Zagreb, 4-1 foi o resultado. A segunda em Wembley por 5-1. Recorde-se que a Croácia ao vencer em Wembley por 3-2 em Novembro de 2007, impediu a selecção de " Sua Majestade " de disputar o último campeonato da Europa. A selecção inglesa dispensa qualquer tipo de apresentação : Rooney, Gerrard, Lampard, Terry, Ferdinand, Ashley Cole, Walcott ou Lennon, são algumas das figuras que vão pisar os palcos africanos. Obra prima suficiente para os " Three Lions ", voltarem a triunfar num Mundial, algo que já não acontece desde 1966.

tags:

publicado por andre--- às 17:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Desertor - com ou sem raz...

. Witsel é um luxo

. Um olhar sobre os candida...

. Fará Luisão assim tanta f...

. Liga Europa - O adversári...

. Liga Europa - O adversári...

. Liga Europa - O adversári...

. Um ponto final na maldiçã...

. Liverpool no caminho do B...

. Só resta a Taça da Liga

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.tags

. todas as tags

.links

origem
Directorio de Blogs Portugueses
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
online
blogs SAPO

.subscrever feeds