Sexta-feira, 12 de Novembro de 2010

Um hino ao futebol

O PENALTY À PANENKA

 

O futebol é feito de riscos. O futebol é o momento. São pequenos grandes pormenores que fazem toda a diferença. O risco pode ser considerado uma loucura ou uma genialidade. Depende sempre do desfecho final !!!

 

Alguns anos antes do penalty brilhante do holandês Cruyff, que vai continuando na memória de muitos, e vai atravessando gerações, houve uma outra grande penalidade que ficou célebre. Esta, foi marcada de forma convencional, só que com muita classe à mistura. Em termos memoráveis também não ficou nada atrás da que o astro holandês apontou num jogo da Liga Holandesa, anos depois daquela que aqui é referida.

 

Chamava-se Panenka, o jogador Checo, que em plena final do Campeonato da Europa de selecções, teve a ousadia de arriscar e surpreender o guarda-redes alemão, chamado Sepp Maier, com um gesto técnico que ficou para a história do desporto rei. Disputava-se a final do Euro 76 em Belgrado. Frente-a-frente, Alemanha e Checoslováquia. Depois de um empate a dois golos, o jogo decidia-se através do desempate por grandes penalidades.

 

Quando chegou a vez de Panenka bater a grande penalidade que lhe estava destinada, o jogo estava empatado a quatro. A decisão do jogo estava nos seus pés, ou na sua mente. Muita pressão sob os ombros de Panenka, ou nem tanto. Os alemães já tinham batido as cinco grandes penalidades. Quatro delas tinham sido convertidas em golo, acabariam por falhar a quinta. Hoeness, avançado alemão, tinha atirado por cima da barra. Panenka podia acabar com o jogo. Bastava-lhe fazer golo, para que os checoslovacos vencessem a competição, e se sangrassem os novos campeões da Europa.

 

Panenka correu para a bola mas, em vez de ter rematado em força, em jeito, rasteiro ou colocado, optou por um arriscado remate em folha seca. Fez o esférico entrar no centro da baliza. Deu apenas um pequeno toque por baixo da bola, no qual saiu um pequeno chapéu. Sem hipótese de defesa para Maier, que se lançou para o seu lado esquerdo. A Checoslováquia era a nova campeã da Europa, graças a um penalty do outro mundo, cobrado por Panenka, que com a sua criação ganhava projecção internacional. Com o seu brilhante gesto técnico, passava de jogador mediano a génio. Louco para muitos !!!

tags:

publicado por andre--- às 17:30
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 21 de Março de 2010

Um hino ao futebol

O PENALTY À PANENKA

 

O futebol é feito de riscos. O futebol é o momento. São pequenos grandes pormenores que fazem toda a diferença. O risco pode ser considerado uma loucura ou uma genialidade. Depende sempre do desfecho final !!!

 

Alguns anos antes do penalty brilhante do holandês Cruyff, que vai continuando na memória de muitos, e vai atravessando gerações, houve uma outra grande penalidade que ficou célebre. Esta, foi marcada de forma convencional, só que com muita classe à mistura. Em termos memoráveis também não ficou nada atrás da que o astro holandês apontou num jogo da Liga Holandesa, anos depois daquela que aqui é referida.

 

Chamava-se Panenka, o jogador Checo, que em plena final do Campeonato da Europa de selecções, teve a ousadia de arriscar e surpreender o guarda-redes alemão, chamado Sepp Maier, com um gesto técnico que ficou para a história do desporto rei. Disputava-se a final do Euro 76 em Belgrado. Frente-a-frente, Alemanha e Checoslováquia. Depois de um empate a dois golos, o jogo decidia-se através do desempate por grandes penalidades.

 

Quando chegou a vez de Panenka bater a grande penalidade que lhe estava destinada, o jogo estava empatado a quatro. A decisão do jogo estava nos seus pés, ou na sua mente. Muita pressão sob os ombros de Panenka, ou nem tanto. Os alemães já tinham batido as cinco grandes penalidades. Quatro delas tinham sido convertidas em golo, acabariam por falhar a quinta. Hoeness, avançado alemão, tinha atirado por cima da barra. Panenka podia acabar com o jogo. Bastava-lhe fazer golo, para que os checoslovacos vencessem a competição, e se sangrassem os novos campeões da Europa.

 

Panenka correu para a bola mas, em vez de ter rematado em força, em jeito, rasteiro ou colocado, optou por um arriscado remate em folha seca. Fez o esférico entrar no centro da baliza. Deu apenas um pequeno toque por baixo da bola, no qual saiu um pequeno chapéu. Sem hipótese de defesa para Maier, que se lançou para o seu lado esquerdo. A Checoslováquia era a nova campeã da Europa, graças a um penalty do outro mundo, cobrado por Panenka, que com a sua criação ganhava projecção internacional. Com o seu brilhante gesto técnico, passava de jogador mediano a génio. Louco para muitos !!!

tags:

publicado por andre--- às 14:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Um hino ao futebol

. Um hino ao futebol

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.tags

. todas as tags

.links

origem
Directorio de Blogs Portugueses
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
online
blogs SAPO

.subscrever feeds