Terça-feira, 3 de Agosto de 2010

A ironia do destino

A ASCENSÃO METEÓRICA DE COENTRÃO

 

A época passada mais ou menos por esta altura, Fábio Coentrão, a nova coqueluche do futebol encarnado, tentava mostrar a Jorge Jesus que tinha qualidade mais do que suficiente para permanecer no plantel do Benfica. O antigo jogador do Rio Ave, não passava de mais um entre outros, que depois de mais um ano emprestado, tinha a oportunidade de realizar a pré-temporada no seu clube. Lutou, trabalhou e mostrou todo o seu potencial no verão do ano passado. Acabou por convencer Jorge Jesus. Chegou com extremo, mas acabou por ser adaptado ao lado esquerdo da defensiva encarnada. Foi como se tivesse renascido.

 

A ascensão do internacional português tem início à oitava jornada da Liga Sagres, num jogo em que o Benfica bateu na Luz o Nacional por expressivos 6-1. É nessa partida que Coentrão, chamado a ocupar o lado esquerdo da defesa encarnada, começa a despontar para uma temporada de sonho. A exibição de Fábio Coentrão foi tão convincente que este acabou por agarrar o lugar, afirmando-se peça indispensável da manobra atacante da equipa. Graças ao seu belo desempenho, torna-se internacional, e mais tarde acaba seleccionado por Queiroz para defender as cores da nossa selecção em solo africano. Isto, depois de se ter sagrado campeão nacional e de ter conquistado também a Taça da Liga de águia ao peito.

 

No Mundial volta a exibir-se em bom plano, depois de ter relegado Duda para segundo plano. Para muitos, acabou mesmo por ser considerado o melhor lateral esquerdo da competição. Passou a despertar o interesse dos grandes da Europa. Um ano depois, o caxinense evoluiu a olhos vistos. Afirmou-se, hoje é dono e senhor do lado esquerdo da defensiva encarnada e portuguesa. Grande parte do mérito, tem de ser atribuído a Jorge Jesus. Apostou nele, adaptou-o e soube trabalhá-lo. Hoje, não tenho dúvidas de que Fábio Coentrão está ao nível dos melhores que nesta posição actuam. Em apenas um ano, teve uma ascensão meteórica. O ano passado, lutava para se manter no plantel (se não tivesse ficado, hoje em dia tudo seria diferente). Hoje, é fundamental na equipa, e provavelmente na selecção. É uma questão de tempo. A vida é mesmo surpreendente e ao mesmo tempo irónica.

tags:

publicado por andre--- às 17:37
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 9 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A ironia do destino

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.tags

. todas as tags

origem
SAPO Blogs

.subscrever feeds